Veja os tipos de conexões em aço-carbono

Para um bom desempenho é necessário escolher o produto ideal para o seu sistema

O Grupo Flanjaço comercializa uma linha completa de conexões em aço-carbono, que estão presentes em vários setores industriais, como químico, petroquímico, têxtil, siderúrgico, mecânico, naval, construção civil, mineração, transportes, energia elétrica e outros.

As conexões em aço-carbono atendem as normas técnicas e de segurança exigidas por lei, além de propor benefícios únicos aos seus clientes, como ótimo custo-benefício, excelência em qualidade e desempenho positivo no sistema empregado.

Veja a seguir os modelos mais comercializados de conexões em aço-carbono:

  • Conexões de aço-carbono forjadas com extremidades para solda de topo ASTM A234 WPB: curva de aço-carbono 45° raio longo; curva de aço-carbono 90° raio longo; curva de aço carbono 45° raio curto; curva de aço-carbono 90° raio curto; Tê 90° de aço-carbono; tê 45° de aço-carbono; tê de redução de aço-carbono; redução concêntrica de aço-carbono; redução excêntrica de aço-carbono; CAP (Tampão) de aço-carbono. Conexões de aço-carbono podem ser fabricadas, com ou sem costura – diâmetros de ½” a 60” nas espessuras: STD, SCH40, XXS, SCH80 e SCH160.
  • Conexões de aço-carbono forjado para alta pressão ASTM A105 com extremidades para solda (SW) ou roscadas (BSP, NPT) – com classe de pressão 2000 lbs, 3000 lbs, 6000 lbs.
  • Conexões de aço-carbono de alta pressão: cotovelo de aço-carbono forjado 45°; cotovelo de aço-carbono forjado 90°; tê de aço-carbono forjado; niple duplo de aço-carbono forjado; luva de aço-carbono forjado; tê de aço-carbono forjado; tê de redução de aço-carbono forjado; bucha de redução de aço-carbono forjado; luva de redução de aço-carbono forjado; plug de aço-carbono forjado – com cabeça sextavada ou quadrada; CAP de aço-carbono forjado; tudo com diâmetros de ¼” a 3”.

Para cada tipo de aplicação existem normas e especificações próprias das conexões de aço-carbono (nacionais NBR e internacionais ASTM, ANSI, ASME, MSS e DIN). Por isso, é imprescindível procurar um profissional antes da escolha da sua conexão, pois alguns fatores devem ser observados, como vazão, tipo de fluido, temperatura, pressão e diâmetros.

Lembre-se: escolha certa da conexão pode contribuir na maior produtividade, economia de tempo, redução de custos e agilidade do sistema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *